Sexta-feira, 27 de Agosto de 2004

O poder de cada um

poder.jpg

São eles que determinam o nosso futuro, a nossa forma de estar e viver em sociedade. É claro que cada indivíduo pode, felizmente, escolher seu próprio destino e forma de vida, mas duma forma ou de outra, também acaba por ser influenciado por eles.
Os políticos. São seres mortais como qualquer um, comungando do mesmo ar, da mesma forma de metabolismo possuindo as mesmas características de envelhecimento e consequente morte, tal qual um qualquer ser mortal.
No entanto, por este ou qualquer motivo, normalmente porque nasceram no seio duma família com tradição política, ou por conhecimento (a cunha), ou por esperteza própria, possuem algumas características filosóficas e de pensamento um pouco diferentes dos outros seres. Uma boa capacidade retórica e um poder de encaixe sem limites, são também condições essenciais para se pertencer a tal classe. Como é obvio a tanga ( a ver: artigo de 18 Junho de 2004) é também essencial para ser possuidor de tal dom.
Não quero dizer com isto que se ponham todos (os políticos) dentro da mesma bitola e se passem a chamar a estes, seres errantes, ou mentirosos, aldrabões, corruptos e coisas afins. Não! Existem, felizmente, mortais dedicados à causa publica, fazendo-o de coração aberto, com honestidade e verticalidade. Provavelmente, são esses que ainda vão fazendo alguma coisa pela sua classe e pelo país onde ditam leis. Mesmo esses correm o risco de cair nas trevas e passar para o lado obscuro e menos correcto desse mundo. A tentação do poder!
O poder corrói e corrompe o bem e as boas intenções.
Todos os políticos, antes de o serem, deveriam passar por um processo de selecção criteriosa e profunda. Uma espécie de entrevista onde seriam analisados vários aspectos da sua vida e condição psicológica. Seriam submetidos a uma série de testes que pudessem validar a sua condição e capacidade para exercer tal profissão. Afinal todos os mortais que trabalham, ou procuram trabalho já o fizeram. Seriam feitos testes psicotécnicos, avaliações de curricula vitae, e tudo o mais necessário.
Só depois da selecção e consequente aprovação estariam aptos para se submeterem à aprovação do povo, à vontade da população, ao acto democrático.
No seu contracto de trabalho, seria também acrescentada uma clausula, que limitasse o seu mandato a um determinado período. Desta forma poderíamos evitar a sede do poder e a consequente passagem para o outro lado. Exerceriam a sua actividade durante certo tempo, depois teriam que voltar a ser cidadãos comuns até se curarem da tentação (o poder) a que foram sujeitos. Como é obvio ao fim de alguns anos poderiam retomar o processo de qualificação, mas certas tendências, vícios e tentações estariam nesse momento apenas alojadas na memória de tempos passados.



caveant consules ne quid respublica detrimenti capiat
(Que os cônsules se acautelem a fim de que a república não sofra nenhum dano)



Um óptimo fim de semana para todos vós, aproveitem os restos de bondade do Astro Rei
publicado por Zeus às 17:49
link do post | comentar | favorito
|
9 comentários:
De Anónimo a 30 de Agosto de 2004 às 11:58
Detesto política, confesso, apesar de lidar com eles no dia a dia!! Sabes já trabalhei com várias cores, mas no fundo no fundinho, são todos iguais!! Uma seca!! Voos docesBorboleta
(http://devaneiosconstantes.blogs.sapo.pt)
(mailto:devaneiosconstantes@sapo.pt)


De Anónimo a 29 de Agosto de 2004 às 14:44
bjinhos zeus!!! boltei!!!
http://jimmorrisongod.blogs.sapo.pt - Jim Morrison - http://testitus.blogs.sapo.pt - KORN...ucópias - http://ronweasley.weblogger.com.br - Harry Potter e comp.telma_doors
</a>
(mailto:me@sapo.pt)


De Anónimo a 29 de Agosto de 2004 às 10:20
Ah, um "manual de instruções"...
Não era má ideia :-)
Beijo ao Olimpoinconformada
(http://escrevoapenas.blogs.sapo.pt)
(mailto:inconformada@sapo.pt)


De Anónimo a 28 de Agosto de 2004 às 13:36
Pois é Zeus, Concordo com as tuas palavras. Em qualquer profissão existem pessoas que se deixam levar pela ambição, que se deixam corromper... Beijinhos e bom fim de semana!Maria Branco
(http://cumplicidadespartilhadas.blogspot.com)
(mailto:branco_maria@hotmail.com)


De Anónimo a 28 de Agosto de 2004 às 11:53
Olá meu querido Zeus! Não te sabia de volta ao mundo dos mortais. Adorei esta tua divagação pelo mundo dos políticos. Como sempre com humor e subtileza dizes as verdades. Um beijo especial, desta tua encantadora.Encantadora
</a>
(mailto:encantadora_serpentes@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Agosto de 2004 às 23:47
Como escreveu o grande Max Weber: O verdadero político para alem de ter de nascer com o dom da palavra, tem de ser rico, para não cair em tentações... Mas a realidade é bem diferente.polittikus
(http://polittikus.blogspot.com)
(mailto:polittikus@hotmail.com)


De Anónimo a 27 de Agosto de 2004 às 21:48
Tão brincalhão que é este Zeus! Escolha criteriosa, testes psicotécnicos ... não querias mais nada, não? O poder corrompe, sem dúvida e muitos quando vão para lá são corruptos à partida... é condição sine qua non. Tristezas dos mortais! Tem um bom fim de semana. Bjslique
(http://mulher50a60.weblog.com.pt/)
(mailto:lique2@sapo.pt)


De Anónimo a 27 de Agosto de 2004 às 19:48
Olá!.. Concordo com o que está dito aqui no respeitante a "uma boa retórica e poder de encaixe sem limites" ao que me atreveria juntar "lata q.b"!.. É evidente que em tudo há excepções e entre esta casta há espécimes que são dignos da maior admiração mesmo que o quadrante ideológico seja diferente do de cada um que os julga. Ser democrático é isso mesmo: não só lutar "pela camisola" mas também ser suficientemente honesto para considerar a existência de virtudes noutros quadrantes.. BOM fim de semana também lá no Olimpo!! A propósito.. parece que vai haver festa rija por lá no Domingo! LOL
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 27 de Agosto de 2004 às 19:29
Olá Zeus! politiquices...deixo um beijinhoccc
(http://www.sofrega.blogspot.com)
(mailto:sofrega@sapo.pt)


Comentar post