Segunda-feira, 17 de Maio de 2004

Merdas e Coisas Assim...

Poderia opinar sobre assuntos mundanos e que estão na “berra” (pelos piores motivos), sobre a tristeza do caso da pedofilia, a guerra do Iraque, os atentados na faixa de Gaza, etc, etc. Estas merdas que assolam o mundo dos mortais cada vez mais e que denigrem a raça humana.
Esses assuntos serão tratados noutra ocasião em que esteja mais angustiado e para além disso existem imensas publicações, blogs, livros programas de tv sobre o assunto.
Prefiro antes opinar sobre merdas e coisas assim como dissertar sobre a imagem que a Sandra me enviou!

casal1.jpg

O Manel e a Maria

O Manel e a Maria são um casal típico português, honesto simples e trabalhador. O Manel trabalha que se “desunha” numa fábrica para pagar as contas da casa, o carro, os estudos dos filhos e o almoço no restaurante que fazem uma vez por mês ao domingo.
A Maria, lava e engoma a roupa da família, trata das crianças, do Manel, do cão e do gato, faz as compras ao sábado no hipermercado e ainda trabalha como mulher a dias na casa duns ricaços. Ainda lhe sobra tempo para ver a novela das 18h da 19h, interrompe às 20h porque o Manel gosta de ver o telejornal, retoma às 21h e termina com a novela das 22h, faz também excepção quando à jogo da bola, pois o Manel também não perdoa.
O Manel e a Maria só saíram de Portugal uma vez quando foram a Badajoz numa excursão organizada pela paróquia a que pertencem. As suas férias ou são passadas em casa, altura que o Manel aproveita para pintar algumas divisões (aquelas que apanharam mais humidade durante o Inverno), ou vão para a terra respirar o ar puro do campo.
O Manel e a Maria já não vão ao cinema, os bilhetes são caros e perderam a “pachorra” para assistir a “fantochadas”, tal acontecimento (o cinema) só ocorria na sua juventude, quando o Manel convidava a Maria para as matinés no cinema improvisado no quartel dos bombeiros.
O Manel e a Maria andam a maior parte do tempo em transportes públicos, a gasolina está cara e o Manel não é grande condutor. Normalmente aos Domingos o Manel pega no carro (que por vezes só pega de empurrão) e leva a Maria ao centro comercial mais perto. Lá podem apreciar as montras, comer um gelado e encontrar alguns amigos que tomam a mesma opção para passar os seus fins de semana.
Durante a semana e depois do trabalho, o Manel vai para o café ter com os amigos e dissertam sobre a política em curso e delineiam grandes estratégias futebolísticas com tácticas de jogo dignas de um grande treinador. Comentam também sobre a “gaija” boa que está a morar no prédio em frente e que o José (amigo do Manel) que mora no rés do chão ouve todas as noites os seus gritos de êxtase quando faz amor com os diferentes namorados que tem.
A Maria reúne-se com as amigas e fala sobre o drama da telenovela das 18h ou das 19 ou das 21 ou das 22h comentam também sobre as discussões que se ouvem no bairro inteiro que a quando o José (o tal amigo do Manel) chega a casa com os copos e bate na Augusta (a cusca mor do bairro).
A Maria (a mais ligada aos filhos) não compreende porque o Manelito (filho) chega a casa todos os dias tão tarde, afinal só tem 16 anitos, e quase sempre a cambalear. Ela desconfia que ele fuma.
A Mariazinha (filha mais velha) deixou a escola porque não se entendia com os professores, ela até é inteligente só que a maior parte das vezes é uma incompreendida. Por isso resolveu abandonar os estudo e dedicar-se à sua paixão, ser cabeleireira.

O Fernado de Unhais Cunha e Sá e a Isabel Mica da Cunha e Sá

A Isabel e o Fernado são um casal moderno. O Fernado é gestor Comercial numa empresa de renome e a Isabel é Directora de Marketing numa empresa também de renome.
Na sua casa, num bairro de prestigio, duas empregadas alternam durante a semana, elas tratam da casa do filhos e dos peixes que estão no aquário da entrada.
A Isabel viaja imenso e raramente está em casa, várias vezes pensou no divórcio que anseia com o Fernando, pois é chique e está na moda, mas vacila um pouco pois nessa situação deixaria de ter sentido manter o Filipe, o que também não deixa de ser chique. Na sua vida atribulada não dispensa o solário, manicura, pedicura, esfoliações semanais e a hidroginástica.
O Fernado também viaja imenso , veste roupa de marca, cheira bem e adora seduzir as colegas do trabalho ou as mulheres dos amigos. Já não tem conta as vezes que traiu a mulher, embora tenha uma ligeira desconfiança que Isabel também já o traiu uma vez, quando ela foi para Itália com um colega do trabalho que dizem ser um galã, apresentar um novo produto de tratamento de pele aos italianos.
Tanto o Fernando como a Isabel passam férias separados, pois nunca coincidem.
Estes dramas do casal são devidamente explorados e tratados nos psicólogos que ambos frequentam mensalmente. Eles acham que a terapia está na moda.
O Fernado frequenta um ginásio restrito onde joga squash e aproveita para “cavaquear” com os amigos..falam da economia geral do pais, da inflação e do pib (produto interno bruto).
A Isabel encontra-se com as amigas e discutem as tendências da moda e o local das próximas férias.
Do Nandito (filho mais velho) e da Isita (filha mais nova) pouco se sabe..nem mesmo eu, o narrador....os pais não lhes dão muita atenção e eles raramente estão em casa, a menos que seja dia de receber a mesada. Eles são uns jovens da moda.


Duas famílias, dois destinos, duas formas diferentes de viver que não fogem muito à realidade do mundo dos mortais.
Acho que o Nandito anda atrás da filha duma das empregadas, que é cabeleireira...mas isso fica para outro filme...

Fiquem bem, bom começo de semana!

A musica do dia está carregadinha de sensualidade e movimento. David Bowie, let's dance.
publicado por Zeus às 11:36
link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De Anónimo a 27 de Maio de 2004 às 14:24
Parabens! Adorei este teu artigo, ri-me imenso à medida que ia descendo com o cursor! Continua, que eu volterei cá!bibila1
(http://www.celebridades.sapo.blogs.pt)
(mailto:bibila1@sapo.pt)


De Anónimo a 19 de Maio de 2004 às 03:30
rsrsrrrs é a minha vez de dizer que gostei da tua prosa (^_~)ApitBull
(http:\\apitbull.blogs.sapo.pt)
(mailto:ApitBullapitbull@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 23:01
lol mto boa a descrição. Nem sei se deva chorar ou rir, tal é a miséria deste país... beijokas para tiMaria
(http://acozinhadamaria.blogs.sapo.pt)
(mailto:acozinhadamaria@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 21:48
Gostei muito do teu texto. Bela caracterização de protótipos da família portuguesa. Além de que consegue ser bastante divertido. Parabéns!lique
(http://mulher50a60.blogs.sapo.pt)
(mailto:lique2@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 21:32
Parabéns pela tua história "à portuguesa" de duas familias que na realidade existem. Continua. Boa semana e inté!porquinho da india
(http://bertoblog.blogs.sapo.pt)
(mailto:baconfrancis@netcabo.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 19:30
Gostei do artigo, ta fixe. Bjsjannett
(http://jannett.blogs.sapo.pt)
(mailto:camachinha@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 18:56
Se não fosse tão real até podia ter graça.Realista descrição da sociedade portuguesa.Com os condimentos certos para captar a atenção do princípio até ao fim...bem escrita e com ironia q.b.MWoman
(http://devaneio.blogs.sapo.pt/)
(mailto:siilvam@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 17:15
gostei muito do artigo, e da comparação entre o casal provinciano e o urbano, está muito bem feito, parabénsMagnolia
</a>
(mailto:ISARI1@iol.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 16:59
infelizmente o que não falta são casais assim......ou alguns ainda piores!!!!!**vina
(http://vina.blogs.sapo.pt)
(mailto:vinaneves1@sapo.pt)


De Anónimo a 17 de Maio de 2004 às 15:10
descreveste neste artigo 80% da população portuguesa!!***telma_doors
(http://jimmorrisongod.blogs.sapo.pt)
(mailto:telma_benfica@sapo.pt)


Comentar post