Sexta-feira, 9 de Setembro de 2005

Réus e Juizes

balanca.bmp


Julgar os outros é fácil e agradável, aliás, os mortais passam a vida a faze-lo. Julgam a vizinha do lado, o Manel do café, a porteira, os amigos, os transeuntes, o policia, o patrão, o empregado, os filhos, os pais e os avós.

Julgar está na moda, é “in”, demonstra sabedoria, bom saber, sapiência e consciência.
Em cada mortal existe um juiz proeminente, pronto a despertar e a vomitar as mais audazes das sentenças! E vomitam-se sentenças e acórdãos de todo o tipo e feitio! Seja o assunto relacionado com a horta do tio Zeca, ao desmantelamento da estação espacial Mir e à sua substituição pela nova ISS. Ou seja, o intervalo de causas, assuntos e processos a resolver é ilimitado e aberto ( ]... ; ...[ ).
Réus e Juizes proliferam na sociedade como cogumelos em campo bafio, alternado-se de quando em vez, substituindo-se no jogo da sociedade.
Enfim, é a balança da justiça que nos atormenta o espirito e corroí-nos a alma!

Esquecem-se por vezes (os mortais) de serem juizes em causa própria! Mas isso é outro assunto!


Regnantibus multo peius est periculum quam his qui iudicantur: hi enim singulos timent, illi universos
(Há muito mais risco para os que governam do que para os que julgam: estes temem indivíduos, aqueles temem a todos)


Fiquem bem,
publicado por Zeus às 10:45
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De Anónimo a 17 de Setembro de 2005 às 16:34
boa mt boa Zeus
ensina-nos como fazer justiça de forma virtual

bjkas gilagilinha
</a>
(mailto:gilinha_ilha@hotmail.com)


De Anónimo a 14 de Setembro de 2005 às 11:01
acho que devemos ter a sinceridade de nos aceitarmos umas vezes vitimas outras carrascostrintapermanente
(http://www.malmenos.blogspot.com)
(mailto:ola1970@sapo.pt)


De Anónimo a 13 de Setembro de 2005 às 02:09
Deixa que te diga, ó Zeus, que quem não opina é um ganda chato! Fónix!A Montellano
(http://chezmontellano.blogspot.com)
(mailto:)


De Anónimo a 11 de Setembro de 2005 às 11:09
está bem esgalhado o texto, mas as mamas são ainda melhoresIgor
</a>
(mailto:igor@sapo.pt)


De Anónimo a 10 de Setembro de 2005 às 04:05
http://members.netmadeira.com/capm/poema.swfArtist@
(http://www.artista-pensador.blogspot.com)
(mailto:capm5@hotmail.com)


De Anónimo a 9 de Setembro de 2005 às 23:09
é verdade, todos nós temos tendência a julgar os outros e ralmente muitos de nós esquece-mo-nos de primeiro olharmos para nós mesmos....
Mas, quem nunca julgou ninguém?!?
;)
Beijos e bom fim de semana*meialua
(http://fragmentosdalua.blogdrive.com)
(mailto:luamagica@hotmail.com)


De Anónimo a 9 de Setembro de 2005 às 18:52
um olhar duro sobre as fragilidades humanas + em destaque.Se puderes passa lá por casa amanhã(10). Bjs e ;)TMara
(http://estranhosdias.blogspot.com/)
(mailto:Tosimara@gmail.com)


De Anónimo a 9 de Setembro de 2005 às 16:06
... costumo dizer e pensar, que se por um acaso, duvidoso, fosse parar ao céu, pediria para ser colocada no Olimpo, que é um céu muito mais céu que qualquer outro...este, é o meu "juízo"...a tua deusa, divindade... bem hajas pelas tuas bençãos. Admites-me no Olimpo? Beijos, Maria PapoilaMaria Papoila
</a>
(mailto:msantosilva@sapo.pt)


De Anónimo a 9 de Setembro de 2005 às 15:30
A primeira vez que aqui venho dou de caras com a balança da justiça! E que justiça! Bem firme e sem silicone :). Beijos para ti Zeus.Angelina
(http://www.cinema-stars.com/jolie/)
(mailto:)


De Anónimo a 9 de Setembro de 2005 às 15:23
Quando li o teu texto lembrei de uma historia que é bem adquada sobre os julgamentos.....................................................................................................................................................

Havia uma aldeia um velho muito pobre que possuía um lindo cavalo branco.
Numa manhã, ele descobriu que o cavalo não estava na cocheira. Os amigos
disseram ao velho:
- Mas que desgraça, seu cavalo foi roubado!
E o velho respondeu:
- Calma, não cheguem a tanto. Simplesmente digam que o cavalo não está mais
na cocheira. O resto é julgamento de vocês.
As pessoas riram do velho. Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou.
Ele havia fugido para a floresta. E não apenas isso; ele trouxera uma dúzia
de cavalos consigo. Novamente, as pessoas se reuniram e disseram:
-Velho, você tinha razão. não era mesmo uma desgraça, e sim uma benção.
E o velho disse:
- Vocês estão se precipitando de novo. Quem pode dizer se é uma benção ou
não? Apenas digam que o cavalo está de volta...
O velho tinha um único filho, que começou a treinar os cavalos selvagens.
Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um dos cavalos e fraturou as pernas.
As pessoas se reuniram e, mais uma vez, se puseram a julgar:
- E não é que você tinha razão, velho? Foi uma desgraça seu único filho
perder o uso das pernas.
E o velho disse:
- Mas vocês são mesmo obcecados por julgamentos, hein? Não se adiantem tanto.
Digam apenas que meu filho fraturou as pernas. Ninguém sabe ainda se isso é
uma desgraça ou uma benção....
Aconteceu que, depois de algumas semanas, o país entrou em guerra e todos os
jovens da aldeia foram obrigados a se alistar, menos o filho do velho.
Quem é obcecado por julgar cai sempre na armadilha de basear seu julgamento
em pequenos fragmentos de informação, o que o levará a conclusões
precipitadas.
Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois quando um caminho termina
outro começa, quando uma porta se fecha outra se abre. Assim é o curso da
vida."..............................................................................................................................................................................................
FOTO ACHO MARAVILHOSA afinal a balança é a da justiça as mamas só as vê quem quer ....rsrsrsrsrsrs ...... beijos ZEUS

ana luar
(http://aromademulher.blogs.sapo.pt/)
(mailto:luar_zita@msn.com)


Comentar post