Quarta-feira, 9 de Março de 2005

Conhecimentos

conhecimento01.jpg

Nunca jamais em tempo algum um mortal poderá dizer que se conhece a si próprio, que identificou a sua estrutura básica, que reconhece todas as características inerentes ao seu ser. Muito menos poderá dizer que conhece os “outros”, os demais, aqueles com quem convive e se relaciona.

No decurso da vida muitas vezes apercebemo-nos de atitudes ou tomadas de posições que nos espantam a nós próprios, as quais julgaríamos impossíveis em outras alturas ou situações. Tal acontece porque o ser humano é basicamente imprevisível. Nos recantos mais sombrios ou iluminados da consciência de cada um, nasce por vezes algo de novo, surpreendentemente diferente e capaz de modificar a vida e a consciência de cada um.
É por isso, meus caros mortais, que de nós próprios nunca devemos dar por certo.
Quanto mais dos “outros”.

Celebremos então, o nosso conhecimento.

felix qui potuit rerum cognoscere causas
(Feliz o que pode conhecer as causas das coisas)

Fiquem bem,
publicado por Zeus às 10:45
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 14 de Março de 2005 às 12:29
Concordo com a tua opinião, mas a desilusão que por vezes temos com algumas atitudes ou opiniões de pessoas que pensamos que conhecimentos bem. Devesse ao facto de acharmos que conhecimentos a pessoa e sabemos quais vão ser as suas atitudes, mas isso não passa de um prepotência da nossa parte, não conhecimentos realmente ninguém.
Nem mesmo conhecemos o nosso EU .
Na minha opinião a técnica e esperara tudo e aguardar vivendo o dia a dia, o melhor que sabemos e podemos , na procura do nosso bem estar e da nossa “felicidade” . ( Carpe Diem)
Beijos Helena Helena
</a>
(mailto:)


De Anónimo a 14 de Março de 2005 às 10:19
quando as notas de um piano se erguem do fundo do mar tu sabes/ o que isso quer dizer.rita
</a>
(mailto:rita_comi@yahoo.com)


De Anónimo a 14 de Março de 2005 às 02:19
Só passei para dizer
BOA NOITE, Jinho, Bshell
blueshell
(http://blueshell.blogspot.com)
(mailto:sengelo@mail.pt)


De Anónimo a 9 de Março de 2005 às 17:05
Não digas de onde vieste pensando saber para onde vais, pois o caminho é longo e tantas vezes sinuoso.
E quantas vezes a pessoa que pensamos que somos nunca existiu, porque não temos de ser como queremos mas como soubemos construír-nos.
Post interessante.
Fica bem.eu33
(http://enigmassolitarios.blogs.sapo.pt)
(mailto:biquinha@sapo.pt)


De Anónimo a 9 de Março de 2005 às 13:32
Gostei muito deste post, concordo com muito do que é dito. BjMarta
(http://minhaalma.blogspot.com/)
(mailto:msmo44@hotmail.com)


De Anónimo a 9 de Março de 2005 às 12:06
Há quem diga que somos 3: quem os outros pensam que somos, quem nós pensamos que somos e quem nós somos na realidade. Terá sido daí que apareceu o fantástico "3 em 1"?? eheheh Beijokas grandes, Betty :)Betty
(http://desfolhada.blogspot.com)
(mailto:ferreiraelisabete@hotmail.com)


Comentar post