Quarta-feira, 9 de Junho de 2004

Os sapatos dela

Alguém... enviou a foto que se segue para dissertação divina...cá vai, com todo o gosto! (não sei se a foto corresponde ao remetente. Foi pedido sigilo do nome e mail)

3.jpg

Poderia canalizar a prosa para o corpo da mortal em questão..que convinhamos, parece-me muito bem delineado e em muito boa forma e enfim...mas prefiro antes dissertar sobre os sapatos dela.
Muitos mortais têm a mania de coleccionar sapatos.
É vê-los nos armários aos pares todos arrumadinhos, perfilados e ajeitadinhos, preparados para passarem mais um ano sem sequer saírem à rua uma única vez.
Existem de todas as formas e feitios, desde os mais clássicos até chegarmos aos chamados “urban shoes”, aqueles de feitio meio esquisito em que é raro encontrar uns de jeito.
No caso das mortais mulheres a obsessão ainda é maior e a sapataria torna-se nestes casos vastíssima, desde os saltos altos, altíssimos até às sandalocas dos mais variados estilos e cores proliferando estes nos armários e guarda-vestidos de casa.
É vê-las na rua a compararem os seus com os dos outros, tentando por vezes equilibrar-se lá do alto das duas torres que trazem calçadas nos pés.
É elegante confesso. O sapato define o estilo e muitas vezes é motivo de sensualidade. Por ventura o caso da mortal da imagem, desnudando-se em jardim celestial.
Mas que existe para ai muita senhora mortal que já nem espaço tem para guardar tanto sapato, existe...Enfim..modas.


mirabile visu
(Admirável de se ver)


O som de hoje, assim como a mortal da foto, faz tremer qualquer um, Whitney Houston e um tema velhinho mas sempre actual, I will always love you.


Saudações para todos vós,
publicado por Zeus às 11:21
link | comentar | ver comentários (37) | favorito
Terça-feira, 8 de Junho de 2004

A minha alma

olho2.jpg

São eles que expressam o estado da alma, são eles que provocam as paixões de rompante são eles que denunciam.
São eles que transmitem alegria, tristeza, desconfiança, rancor, traição, ternura e carinho. São eles que fazem sonhar.
Nunca jamais em tempo algum, um mortal consegue esconder um estado de espirito que não seja denunciado pelos seus olhos.

Infelizmente muitos mortais têm os olhos abertos mas apenas os utilizam para se desviar dos objectos que lhes surgem pela frente.


oculos habent et non vident
(Têm olhos e não vêem)

O som hoje é Lindíssimo, “Olhos Castanhos”.
Haaa! E não se esqueçam que hoje, a minha amiga Vénus passeia-se em frente ao astro Rei. Protejam os olhos se quiserem deslumbrar o espectáculo.

Fiquem bem
publicado por Zeus às 09:31
link | comentar | ver comentários (27) | favorito
Segunda-feira, 7 de Junho de 2004

Deixo-vos aqui este saco

saco.jpg

Ontem desci do Olimpo e estive lá no Rio a ver o Rock do Sting e a encher a alma com a musica da divina Mariza (e que bem ela esteve).
Hoje, estou no “rescaldo” da festa...
Deixo-vos aqui este saco para o encherem de ideias, pensamentos o que quiserem!
Encham-no por favor!

Fiquem bem
publicado por Zeus às 09:45
link | comentar | ver comentários (25) | favorito
Sexta-feira, 4 de Junho de 2004

A tia Maria

old2.jpg

A tia Maria vive no interior do país numa casa construída ainda em laje.
Não faz ideia do que é o multibanco, a internet ou a bolsa de valores. Ouviu falar disso na televisão, aquela que os filhos que estão em Lisboa lhe ofereceram num destes Natais para comemorar a vinda da electricidade para a aldeia, mas mesmo assim não entende para que servem essas modernices e outras que tais.
Guarda o dinheiro da reforma em casa pois o banco fica longe, lá na Vila, e ela não acredita muito naqueles senhores de gravata que estão ao balcão e lhe estendem a mão numa atitude do estilo “passa para cá o guito”, aliás ela tem algumas dificuldades em escrever o seu nome. A sua neta mais velha tão carinhosamente insistiu para que ela aprendesse a rabiscar mas custa-lhe um pouco e a vista já não é o que era.
À cidade veio duas ou três vezes e não gostou nada do ruído dos automóveis, das pessoas e do cheiro constante a monóxido de carbono.
À praia nunca foi, não por falta de oportunidade de ir com a sua neta mais nova que adora o Sol, mas porque não gosta de ver os corpos de outros quase nus.
Prefere a vida que tem no campo e a calma que sente quando vai com as suas duas ovelhas ao prado para estas se alimentarem. Tarefa que era alegremente executada pelo Manel, seu falecido marido. Sim, a Maria era a pessoa mais feliz ao cimo da terra quando o seu Manel era vivo.

Formas diferentes que os mortais têm de viver e conviver com a sociedade.

donec eris felix, multos numerabis amicos
(Enquanto fores feliz, terás muitos amigos)

O som é dos GNR, Rui Reininho, Pronúncia do Norte


Um óptimo fim semana, fiquem bem e boa sardinhada
publicado por Zeus às 09:34
link | comentar | ver comentários (49) | favorito
Quinta-feira, 3 de Junho de 2004

Quando o calor aperta

Ele está ai, o astro rei contempla os mortais portugueses quase todos dias e com tendências a aumentar.

sol.jpg

Como acontece todos os anos, quando o calor aperta e a sede da praia desperta, grande parte dos mortais começa a sentir um certo nervoso e desconforto por ter que mostrar o seu corpo deitado na sílica (vulgo areia) doirada.
Nesta fase começam os grandes esforços e curas milagrosas de emagrecimento ou anti-celulite (o terror da maior parte das mortais).
Eles (os gaijos) inundam os ginásios na busca incessante do belo corpinho, correm Kms por dia, bebem Isostar em quantidades astronómicas e debatem-se em frente ao armário com espelho no vai vem dos abdominais.
Elas (as gaijas) recorrem não só aos ginásios como às pílulas milagrosas anti celulite anti gordura e afins.
Por vezes, na busca da perfeição e embelezamento, elas e eles, fazem a “bela” da tatuagem, que, confesso (no caso delas, ou deles, depende dos gostos) no local ideal e com o desenho perfeito, pode até ficar duma sensualidade extrema (não é certamente o caso da mortal da foto que tem o Sol tatuado no ventre). Começam também a procura incessante pelo biquini ou fato banho ideal, percorrendo kms de centros comerciais, ou comprando o biquini ou a sunga à amiga(o) que passou férias o ano passado no Brasil.
Os demais, aqueles que nada fazem, normalmente pautam-se pelo seguinte: Ou são demasiado “balofos” e nessa altura a desculpa é criticar quem frequenta os ditos ginásios ou a toma de drogas. Ou seja é uma forma de aliviar a sua consciência ou frustração por não conseguirem, ou não se esforçarem pelo tal corpinho apresentável.
Outros, demasiados “debochados” simplesmente estão-se a “cagar” para isso...para eles é igual ao litro (da cerveja consumida durante o ano) que as suas banhocas sejam ou não estimuladas na areia escaldante.
Outros demasiados preguiçosos utilizam a desculpa de andarem muitos atarefados e nem sequer tempo para isso têm..no fundo consomem-se por dentro por não conseguirem enfrentar o calor e o mar.
Outros, simplesmente não podem porque não podem..ou porque não gostam ou porque não precisam de tais esforços para se sentirem bem consigo próprios sejam eles (os mortais) gordos, medianos, magros ou esqueléticos. Sem duvida a melhor atitude.
São os dilemas que ai vêm, para grande parte dos mortais.
Mas que eu gosto, gosto! Nada melhor que um corpinho duma mortal bem delineado e “torradinho” pelo meu amigo astro rei.


sol lucet omnibus
(O Sol brilha para todos)

O som de hoje leva-nos para as deliciosas praias da nossa imaginação, Tom Jobim, Garota de Ipanema

Fiquem bem!
publicado por Zeus às 09:25
link | comentar | ver comentários (50) | favorito
Quarta-feira, 2 de Junho de 2004

As musas e os “musos”

A foto seguinte foi "surripiada" nos arquivos do Olimpo.

zeus501.jpg

À semelhança dos deuses, que não prescindem das suas musas, ninfas e mortais, os humanos também gostam (e de que maneira) do seu par. Para cada ser mortal ou imortal existe sempre uma musa ou um “muso”.
Por mais voltas que se dê ao planeta azul todos os seres mortais necessitam querem e requerem um(a) companheiro(a) para a vida, momento ou ocasião.
E a escolha é variadissima, eles (“musos”) e elas (musas), abundam por todo o lado, dependendo dos gostos e feitios. Assim sendo temos os feios, bonitos gordos e magros, altos e baixos, etc, etc. Para todos existe um par.
Alguns passam a vida inteira à procura da chamada “alma gémea”. São estes os mais difíceis de encontrar sendo por vezes o destino o único causador de tais junções ou em casos extremos, a intervenção daquele fulano pequenote e de seta na mão, que podem ver na imagem.
Quando um “muso” se junta a uma musa tudo pode acontecer ou seja; se o encontro é de ocasião ou de momento o resultado mais certo é a chamada “fornicação”, e nesse caso o prazer e a luxuria convivem lado a lado, podendo repetir-se mais que uma vez e com mais que um “muso” ou musa, acabando ao fim de algum tempo.
Outros casos existem em que para além do prazer outros valores se elevam, ou seja, quando a fornicação passa a ser chamada de “fazer amor”, e nesse caso o companheirismo, o amor, a amizade e a fidelidade passam a viver em conjunto com a junção dos ditos (a musa e o “muso”) pares. Muitas vezes ao fim de alguns tempos toda esta maravilha descrita atrás acaba, erros são cometidos (errare humanum est) e verifica-se que a junção é infrutífera. Nesses casos tudo termina e muitas vezes apenas os descendentes restam para contar a historia.
As junções restantes são eternas e prevalecem para além da morte dando origem algumas delas a filmes épicos e grandes historias de amor.
Basicamente todos procuram algo na vida. Um “muso” ou uma musa serve perfeitamente na maior parte dos casos.

bis repetita placent
(As coisas repetidas agradam)

O som faz as delícias de muitos “musos” e musas por esse mundo fora, Eagles, Hotel California

Saudações para todos vós, fiquem bem
publicado por Zeus às 09:35
link | comentar | ver comentários (29) | favorito
Terça-feira, 1 de Junho de 2004

Aos mortais, não gosto de vos ver ou sentir tristes!

happy.jpg


Confesso que estou um pouco surpreendido com a receptividade que o Olimpo tem tido ao longo destes últimos tempos no que concerne a “cartas” enviadas, as quais respondo com o maior dos carinhos e satisfação.
No entanto, recebi também algumas (“cartas”) de mortais cuja alma está em sofrimento, que penam neste momento e cujo infortúnio lhes atingiu a vida por esta ou por aquela razão.
Não pretendo nem ouso, na minha mera condição de mortal, igual a todos vós, gerar ou simplesmente opinar algo mágico que lhes resolva os problemas, simplesmente vos digo, aliás como ontem respondi a alguém por mail, que nada, mesmo nada neste mundo, merece que alguém esteja desiludido ou em contradição com a vida.
Que nada nem ninguém merece que desperdicemos minutos preciosos da nossa existência em sofrimento. Mas se a isso formos obrigados, então que tiremos proveito e nos sirva para que algo de positivo seja retirado e que a lição seja aprendida.
Tudo tem que ter um significado caraças! Não acham?
A momentos negros todos estamos sujeitos na vida. Mesmo os Deuses.

Hoje são simples as palavras, fiquem bem!

Latim não há para que a mensagem seja perceptível para todos.

O som é qualquer um que vos faça sentir bem.
publicado por Zeus às 10:30
link | comentar | ver comentários (23) | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


.posts recentes

. Emoções

. Melhor Mãe do Mundo

. Cavatina

. Espelho

. Devotos

. Mas...

. Renascer

. Regras do Jogo

. Os nossos pensamentos

. Caminhos

.arquivos

. Outubro 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds