De Anónimo a 8 de Setembro de 2005 às 16:58
O filme é crú e transmite acima de tudo uma vida a qual o Rámon não queria viver, ser dono do seu corpo, da sua alma, das suas vivências não o torna de modo nenhum egoísta e pessimista relativamente à vida! Rámon exerceu o poder de livre arbitrío que ele tinha para com a sua vida, e não cabe a nenhum de nós julgá-lo por isso! Não somos Deus, nem Zeus, somos apenas seres humanos cujas curvas da existência nos trazem surpresas. Rámon ensinou-me que a vida deve ser vivida em pleno, enquanto podemos,e nada nem ninguém nos deve obrigar a viver como vegetais apenas porque outros acham impensável a ideia de suícidio assistido. A liberdade de cada um deve ser respeitada, na vida e na morte!
Zeus, o poema, tal como o filme e como Rámon é uma inspiração! Gostei...angelspit
(http://confrariadostotos.blogs.sapo.pt/)
(mailto:angelspit@sapo.pt)


Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.